Desenvolvimento Cognitivo Vygotsky

“Para Vygotsky, o processo de aprendizagem deve ser olhado por uma óptica prospectiva, ou seja, não deve-se focalizar o que a criança aprendeu, mas sim o que ela está aprendendo. Nas nossas práticas pedagógicas, procuramos sempre prever em que tal ou qual aprendizado poderá ser útil àquela criança, não somente no momento em que é ministrado, mas para além dele. É um processo de transformação constante na trajectória das crianças. As implicações desta relação entre ensino e aprendizagem para o ensino escolar estão no fato de que este ensino deve se concentrar no que a criança está aprendendo, e não no que já aprendeu. Vygotksy firma está hipótese no seu conceito de zona de desenvolvimento proximal (ZDP).”

(Creche Fiocruz, 2004)

 

        

              Lev Vygotsky nasceu, na Bielo-Rússia, em 1896. Depois de receber aulas particulares de Solomon Ashpiz, frequentou e trabalhou no Instituto de Psicologia de Moscovo, entre 1923 e 1934, onde teve oportunidade de desenvolver as suas teorias sobre o desenvolvimento cognitivo e a relação entre o pensamento e a linguagem. Viria a morrer, aos 38 anos, de tuberculose. Deixou uma obra vasta, composta por seis volumes (1), escritos ao longo de uma carreira curta de apenas dez anos.

 

 

 

 

 

               Vygotsky atribuiu muita importância ao papel do professor como impulsionador do desenvolvimento psíquico das crianças. A ideia de um maior desenvolvimento conforme um maior aprendizado não quer dizer, porém, que se deve apresentar uma quantidade enciclopédica de conteúdos aos alunos. O importante, para o pensador, é apresentar às crianças formas de pensamento, não sem antes detectar em que condições elas têm de absorve-las.

 

-----------------------         

Nota: com alguma dificuldade na definição desta "corrente ideológica", recorremos a um sitio na internet para fazer a definição da Zona de Desenvolvimento Proximal como apresentamos de seguida.

-----------------------                     

 

Aprofundando um pouco mais nas ideias de Vygotsky...

Desenvolvimento e Aprendizagem: a Zona de Desenvolvimento Proximal

 

                "Para J. Piaget, dentro da reflexão construtivista sobre desenvolvimento e aprendizagem, tais conceitos se inter-relacionam, sendo a aprendizagem a alavanca do desenvolvimento. A perspectiva piagetiana é considerada maturacionista, no sentido de que ela preza o desenvolvimento das funções biológicas – que é o desenvolvimento - como base para os avanços na aprendizagem. Já na chamada perspectiva sócio-interacionista, sociocultural ou sócio-histórica, abordada por L. Vygotsky, a relação entre o desenvolvimento e a aprendizagem está atrelada ao facto de o ser humano viver no meio social, sendo este a alavanca para estes dois processos. Isso quer dizer que os processos caminham juntos, ainda que não em paralelo. Entende-se melhor essa relação ao discutir a Zona de Desenvolvimento proximal.

                Como lidar com o desenvolvimento natural da criança e estimulá-lo através da aprendizagem?

                Como é que esta pode ser efectuada de modo a contribuir para o desenvolvimento global da criança?

                Em Vygotsky, ao contrário de Piaget, o desenvolvimento, principalmente o psicológico/mental (que é promovido pela convivência social, pelo processo de socialização, além das maturações orgânicas), depende da aprendizagem na medida em que se dá por processos de internalização de conceitos, que são promovidos pela aprendizagem social, principalmente aquela planeada no meio escolar.

                Ou seja, para Vygotsky, não é suficiente ter todo o aparato biológico da espécie para realizar uma tarefa se o indivíduo não participa de ambientes e práticas específicas que propiciem esta aprendizagem. Não podemos pensar que a criança se vai desenvolver com o tempo, pois esta não tem, por si só, instrumentos para percorrer sozinha o caminho do desenvolvimento, que dependerá das suas aprendizagens mediante as experiências a que foi

exposta.

                Neste modelo, o sujeito, (no caso, a criança)  é reconhecida como ser pensante, capaz de vincular a sua acção à representação do mundo que constitui a sua cultura, sendo a escola um espaço e um tempo onde este processo é vivenciado, onde o processo de ensino-aprendizagem envolve directamente a interacção entre sujeitos.

                Para Vygotsky (1996), Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP), é a distância entre o nível de desenvolvimento real, ou seja, determinado pela capacidade de resolver problemas independentemente, e o nível de desenvolvimento proximal, demarcado pela capacidade de solucionar problemas com ajuda de um parceiro mais experiente. São as aprendizagens que ocorrem na ZDP que fazem com que a criança se desenvolva ainda mais, ou seja, desenvolvimento com aprendizagem na ZDP leva a mais desenvolvimento, por isso dizemos que, para Vygotsky, tais processos são indissociáveis.

                É justamente nesta zona de desenvolvimento proximal que a aprendizagem vai ocorrer. A função de um educador escolar, por exemplo, seria, então, a de favorecer esta aprendizagem, servindo de mediador entre a criança e o mundo. Como foi destacado anteriormente, é as relações com o outro, que a criança terá condições de construir as suas próprias estruturas psicológicas (Creche Fiocruz, 2004). É assim que as crianças, possuindo habilidades parciais, as desenvolvem com a ajuda de parceiros mais habilitados (mediadores) até que tais habilidades passem de parciais a totais. Temos que trabalhar, portanto, com a estimativa das potencialidades da criança, potencialidades estas que, para tornarem-se desenvolvimento efectivo, exigem que o processo de aprendizagem, os mediadores e as ferramentas estejam distribuídas em um ambiente adequado (Vasconcellos e Valsiner, 1995). "

Escrito por  Elaine Rabello e José Silveira passos

Retirado do site:  http://www.josesilveira.com/artigos/vygotsky.pdf

 

Contatos

Gonçalo Ferreira / João Pereira

Porto, Portugal

Artigos

A Educação Física como meio de inclusão social: mito ou verdade?

08-06-2010 22:02
    Para que a criança com necessidades especiais seja verdadeiramente incluída na EF, não basta estar no mesmo espaço físico ou participar de algumas atividades, mas ela deve fazer parte do grupo e participar de todas as brincadeiras e atividades desenvolvidas durante a aula,...

Maturação sexual e desempenho físico em nadadores de 11 a 14 anos de idade

07-06-2010 20:06
    Normalmente, para efeitos de treinamentos e competições de várias modalidades esportivas, as crianças e adolescentes são classificados por categorias segundo as suas faixas etárias. Além da idade como meio de seleção, ainda são usados alguns outros parâmetros para avaliação...

O abandono precoce do desporto pelos jovens e a motivação subjacente para continuar

06-06-2010 21:58
     O desporto valoriza socialmente o homem, proporciona uma melhoria do seu auto-conceito, e a aprendizagem de uma modalidade desportiva constitui uma das mais significantes experiências que o ser humano pode viver com o seu próprio corpo. O desporto pode ser algo de muito benéfico...

A psicologia do desporto pelo mundo

05-06-2010 16:00
  Assim, este autor considera como primeiro período o dos “percursores” ou “pioneiros”, tendo decorrido de 1890 a 1920 devido à procura de se relacionar o desporto com a psicologia. De 1920 a 1930 e de 1930 a 1945, as “fases preparatórias” caracterizaram-se fundamentalmente pela tentativa de...


For more widgets please visit www.yourminis.com